Edrosa, Carnaval

A morte saía à rua, trajando roupas de mulher. Usava “dentes brancos de cebola” (PEREIRA, 1973:134).

O Diabo usava um fato vermelho, com franjas, campainhas e guizos.

O Padre usava uma “saia branca de mulher enfiada pelos ombros” (PEREIRA, 1973:134) e uma saia preta nas pernas. Fazia-se acompanhar de um rapaz que, num recipiente, levava urina. Se o Padre bem entendesse podia atirá-la às pessoas como se fosse água benta.

 

Fontes e Bibliografia:

PEREIRA, Benjamim, 1973, Máscaras Portuguesas, Lisboa, Museu de Etnologia do Ultramar.

PESSANHA, Sebastião, 1960, Mascarados e máscaras populares de Trás-os-Montes, com desenhos de Mily Possoz, Lisboa, Livraria Ferin.