Mós, Festa dos Rapazes

Em Mós a festa dos rapazes parecia coincidir com a dos Reis.

No dia 5 de Janeiro ocorria a “festa da sardinha” e do pão. Era organizada pelos mordomos as almas. Nesta festa só podiam participar os chefes de família. O padre benzia a mesa.

Existia apenas um mascarado, que ocultava por completo a sua identidade, durante a ceia dos rapazes.

A castanha (mamotas) era um elemento essencial, e eram distribuídas pelo mascarado.

 

Mascarados

Os fatos eram feitos de colcha, de lã (vermelhas) e de franjas coloridas. Tinham, ainda, um capuz longe, com uma bola no fim.

O mascarado usava chocalhos na zona do peito e um chicote.

A sua máscara era feita de lata.

O mascarado usava “gatos” (PESSANHA, 1960:43) na boca, a fim de ocultar a sua voz.

 

Fontes e Bibliografia:

PEREIRA, Benjamim, 1973, Máscaras Portuguesas, Lisboa, Museu de Etnologia do Ultramar.

PESSANHA, Sebastião, 1960, Mascarados e máscaras populares de Trás-os-Montes, com desenhos de Mily Possoz, Lisboa, Livraria Ferin.