Vale das Fontes, Festa de Santo Estêvão

A festa de Santo Estêvão, nesta localidade, realiza-se no dia 31 de Dezembro e no primeiro dia do ano, sendo organizada por quatro mordomos.

Faz-se uma primeira ronda, quando os gaiteiros já chegaram, a fim de anunciar o início da festa.

De noite ocorre a encamisada. Nesta são usados meios de transporte mais rústicos e outros mais modernos. Os “caretos”, que aqui podem ser raparigas, crianças, homens casados ou solteiros, pessoas idosas, participam activamente na encamisada, sendo eles que a encabeçam.

De quando em quando ouve-se um tiro que interrompe esta folia para dar lugar a um momento sagrado, no qual três pessoas, duas do sexo masculino e uma do feminino, cantam a alvorada, em honra do santo.

No primeiro dia do ano ocorre a missa, anunciada pelos gaiteiros, e para a qual os quatro mordomos se dirigem, ostentando as varas, as suas insígnias do poder.
No fim da mesa dirigem-se para o local onde se encontra a mesa de Santo Estêvão, onde colocam as suas varas.

É quando os mordomos se encontram na mesa de Santo Estêvão que a população lhes vai dando uma ajuda (esmola) para o pagamento das despesas relacionadas com a festa.

Segue-se a arrematação das varas, ou seja, a transmissão do poder.

Há um jantar, no fim do dia, e uma nova encamisada.

 

Máscaras dos “caretos”

As suas máscaras podem ser de diferentes materiais: tecido (renda), lata ou chapa.

 

Fontes e Bibliografia:

TIZA, António Pinelo, 2004, Inverno Mágico, Ritos e Mistérios Transmontanos, Lisboa, Ésquilo.