Vila Chã da Braciosa, “Velho” e “Velha”

A “velha” é um homem que traja roupas de mulher e pinta a cara de preto. Faz-se acompanhar por “duas «damas» do mesmo sexo” (PESSANHA, 1960:24), ou seja, por dois rapazes. Um deles dança, e o outro usa uma bexiga de porco colocada no topo de um pau e uma “cruz de cortiça queimada” (PEREIRA, 1973:118), que usa para sujar aqueles que não lhe dão esmola.

Estas figuras saem, juntamente com o gaiteiro, no dia de Ano Novo, para pedirem esmola para o Menino.

O “velho” usa um “alforge a tira colo empunhado, numa das mãos [leva] uma gancha onde pendura os chouriços que lhe dão” (PESSANHA, 1960:24). Na outra mão traz um pau […] [com] uma bexiga de porco” – é com esta que fustiga os rapazes.

 

Fontes e Bibliografia:

PEREIRA, Benjamim, 1973, Máscaras Portuguesas, Lisboa, Museu de Etnologia do Ultramar.

PESSANHA, Sebastião, 1960, Mascarados e máscaras populares de Trás-os-Montes, com desenhos de Mily Possoz, Lisboa, Livraria Ferin.