Vilarinho dos Galegos, “Mascarão” e “Mascarinha”

Estas duas figuras saíam no dia 6 de Janeiro para pedir esmola para o Menino Jesus. Além desta actuação na esfera do sagrado, podiam entrar em casas sem pedir autorização e roubar peças de fumeiro ou fruta.

O “Mascarão” era atacado por rapazes “com bexigas de porco cheias de ar e que ele tenta rebentar” e por isso usa uma “espada para se defender” destas investidas (PESSANHA, 1960:23).

A “Mascarinha” é um homem que se veste de rapariga. Oculta por completo a cara: usa um “pano de renda” (PESSANHA, 1960:23) para esse efeito. Além disso não falava, talvez para se manter no total anonimato. Pára nas portas a pedir esmola, que é entregue aos mordomos.

Em 1908 estas figuras estavam presentes em vários pontos do Concelho de Mogadouro: Vilarinho dos Galegos (até 1940), Quinta das Quebradas, Castelo Branco e Vila dos Sinos.

 

Fontes e Bibliografia:

PESSANHA, Sebastião, 1960, Mascarados e máscaras populares de Trás-os-Montes, com desenhos de Mily Possoz, Lisboa, Livraria Ferin.